Sábado, 15 Junho 2019 09:36

Prati-Donaduzzi é case de estudo dos juízes do TRT-Paraná

Prati-Donaduzzi_Visita Juízes (2).jpg

Os visitantes na unidade fabril onde são produzidos medicamentos importantes do portfólio da empresa

Um grupo de 20 servidores e juízes da Justiça do Trabalho do Paraná (TRT-PR) fez uma visita técnica na sexta-feira (14) na Prati-Donaduzzi e no Parque Científico e Tecnológico de Biociências (Biopark), em Toledo. Entre eles, a juíza Morgana de Almeida Richa coordenadora da Escola Judiciária e a juíza titular da 2ª Vara do Trabalho de Toledo, Gabriela Macedo.

Na farmacêutica, os servidores e juízes do judiciário paranaense foram recepcionados pelo Diretor-Presidente, Eder Fernando Maffissoni, e pela Sócia-Fundadora da empresa, Carmen Donaduzzi. Também assistiram a uma apresentação do Coro Serprati.

Durante uma apresentação institucional, Maffissoni destacou que nos próximos cinco anos, a fábrica praticamente dobrará seu portfólio de produtos. Das atuais 324 apresentações em 2019, terá 531 opções de tratamento para oferecer à população. Também deverá lançar no mercado produtos com patente, como o Myalo, medicamento à base de canabidiol (CBD), que tem como objetivo controlar as crises de epilepsia refratária.

Após a conversa com a diretoria da Prati-Donaduzzi, os servidores seguiram para conhecer à unidade fabril onde são produzidos medicamentos importantes do portfólio da empresa. Entre eles, o anti-hipertensivo Losartana e o antidiabético Metformina.

A visita na maior fábrica de genéricos do Brasil faz parte dos treinamentos oferecidos pela Escola Judicial, que este ano, tem como meta principal debater a Indústria 4.0. Uma metodologia que está revolucionando à maneira como as fábricas vem operando.

“Integrar o roteiro de visitas da Escola Judicial é um reconhecimento do trabalho realizado pela Prati-Donaduzzi ao longo desses 25 anos”, disse Maffissoni.

Além da Prati-Donaduzzi, o grupo de servidores já conheceu outras grandes empresas paranaenses como Sandoz e Grupo Madero.

Valorização das pessoas

Segundo a juíza Morgana de Almeida Richa, coordenadora da Escola Judiciária, os servidores já visitaram várias empresas para verificar como a tecnologia está aplicada no mundo do trabalho. Inclusive avaliar quais profissões estão ficando obsoletas e quais são emergentes.

“A Prati-Donaduzzi é um exemplo de valorização das pessoas. Atua diferente da maioria. Enquanto muitas empresas estão trocando pessoas por máquinas, a Prati, mantém seus colaboradores na linha de frente”, afirmou.

Apesar de ter uma gestão verticalizada e sem a terceirização dos serviços, todas as fases da produção até a entrega dos produtos funcionam em extrema perfeição. “Percebemos um cuidado com as atividades em todos setores. E, sobretudo, que o produto final tenha qualidade”, disse.

A juíza da 2ª vara do Trabalho de Toledo, Gabriela Macedo, avaliou a visita como uma forma de estreitar relações com as empresas locais. “É muito importante para o juiz que está em uma cidade conhecer as empresas que ela possui e principalmente como trata seus colaboradores. Conhecer a Prati e sua rotina no dia a dia foi muito valioso”.

A fundadora da empresa, reforçou que valorizar o trabalhador é uma das premissas da indústria de genéricos. “Aqui na Prati somos uma grande família. Sem as pessoas a Prati não é nada. Com elas, produzimos quase 12 bilhões de doses de medicamentos por ano”, concluiu, Carmen. 

 

Ler 1138 vezes Última modificação em Sábado, 15 Junho 2019 09:54