Notícias

Stock Car: Campos entra na briga pela vitória em Londrina

7 Maio 2018, 12:00 am
Publicado em Últimas Notícias
Ler 291 vezes

StockCar_EtapaCuritiba.jpg

O piloto da Prati-Donaduzzi - Julio Campos

O veterano Rubens Barrichello, campeão de 2014, conquistou a pole da prova de abertura da rodada dupla válida pela quarta etapa da Stock Car. O ex-Fórmula 1 dominou o Q3, última parte da sessão classificatória deste sábado de sol forte no autódromo de Londrina, e vai liderar o grid de 31 carros a partir das 13 horas de amanhã, com transmissão ao vivo pelo SporTv. Mas a vida do piloto da Full Time Sports não será fácil: o qualifying voltou a revelar o equilíbrio da categoria (30 dos 31 pilotos ficaram separados por menos de um segundo no Q1) e confirmou a evolução de Julio Campos, da Prati-Donaduzzi, que partirá em 5º depois da conquista de dois terceiros lugares há duas semanas no Velopark.

Campos novamente deu mostras que voltou a ser um dos protagonistas da Stock Car. O quarto colocado no campeonato comemorou o resultado. “Estamos melhorando, ficando cada vez mais competitivos. Só não sairei um pouco mais à frente, provavelmente em terceiro, porque dei uma erradinha no último trecho do Q3. Mas estamos na briga. Sabemos que as corridas serão pegadas e que temos carro para ir para a frente”, garantiu, depois de entrar na decisão da pole pela primeira vez em 2018.

Nos treinos da manhã, Campos realizou uma simulação de corrida. “Acertamos o carro muito bem para as condições de prova. Acredito que temos todas as possibilidades de sair daqui talvez já em terceiro do campeonato, já que a diferença para o Felipe Fraga é de apenas quatro pontos, ou até em segundo e ainda reduzir a desvantagem em relação ao Daniel Serra”, disse. Cacá Bueno, o vice, largará em 9º, enquanto Serrinha fechará a terceira fila ao lado de Campos.

O parceiro de Campos viveu um dia de emoções distintas no norte paranaense. Quinto colocado no Q1 e mais veloz no seu grupo, o amazonense Antonio Pizzonia acabou caindo no Q2 e partirá em 15º. “Eu estava no limite da passagem ao Q2 e a equipe me pediu para dar uma volta a mais por segurança. Era uma decisão difícil, sei disso, mas o carro começou a ficar um pouco traseiro por causa do desgaste dos pneus. De qualquer forma, acho que o carro está até mais competitivo para uma situação de prova do que de classificação. Continuo otimista. Vou ter de remar um pouco, quem sabe priorizando um pouco mais a segunda corrida, mas ainda vamos discutir bastante as estratégias”, avaliou.

Márcio Fonseca (MTb 14.457) | Assessoria de Imprensa da Equipe Prati-Donaduzzi